6.9.11

MADURE: “Dez Lições que Aprendi de meu Pai”



Honrando meus pais em seu oitenta anos

Quando meu pai me convidou para falar em seu banquete de “não aposentar-se” (embora estivesse se aposentando, perante a lei) aos oitenta anos de idade, eu não tive de orar sobre o assunto. Não havia dúvidas quanto à vontade do Senhor. Um filho sempre dirá “sim” e honrará seu pai. Contei aos convidados que diria estas palavras no funeral de meu pai, mas que era uma grande honra e alegria poder dizê-las na presença dele. Agora estou publicando-as, para que outros as leiam, quando ele ainda está vivo e serve no ministério. Que esta honra se propague. Deus tem sido gracioso para comigo.

1. Quando as coisas não acontecem do modo desejado, Deus sempre as faz concorrer para o bem.
Em nosso lar, Romanos 8.28 era tão proeminente como João 3.16. Eu o aprendi dos lábios de meu pai: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. Isso se tornou o alicerce de minha vida. É assim que Deus é. A vida é árdua. Deus é soberano. Deus é bom.

2. Podemos confiar em Deus.
Meu pai nunca murmurou ante as providências de Deus, nem mesmo quando Ele levou mamãe aos cinqüenta e cinco anos de idade. Foi uma perda imensa. A tristeza foi demorada. Mas nunca duvidamos de Deus. “Neste Deus ponho a minha confiança e nada temerei. Que me pode fazer o homem?” (Salmos 56.11).

3. As pessoas estão perdidas e precisam ser salvas por meio da fé em Jesus.
Meu pai era um evangelista. A sua ausência de casa, em viagens evangelísticas, durante quase um terço de minha vida, incutiu-me uma mensagem primordial: o inferno é real e terrível, e Jesus é um grande Salvador. Mamãe sempre sugeriu que a ausência de papai era um privilégio glorioso que tínhamos de apoiar. Naquela época, nunca pensei em ressentir-me de sua necessidade de ausentar-se, como não o penso até hoje.

4. A vida é precária e preciosa. Não presuma que certamente amanhã você estará vivo. Não desperdice a sua vida hoje.
“Aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo” (Hebreus 9.27). Ouvi meu pai dizer estas palavras muitas vezes, enquanto pregava. Eram palavras ameaçadoras e, ao mesmo tempo, boas para mim. “Não te glories do dia de amanhã, porque não sabes o que trará à luz” (Provérbios 27.1). Papai sabia — por isso, eu também sabia — muitas histórias de jovens que haviam sido mortos antes de estarem prontos para se encontrarem com Deus. O mundo era um lugar muito sério onde cresceríamos.

5. Um coração feliz é como um remédio excelente, e Cristo é Aquele que satisfaz o coração.
Meu pai era e continua sendo o homem mais feliz que já conheci. Em um sermão intitulado “Salvo, Seguro e Satisfeito”, ele disse: “Ele é Deus. Quando confiamos nEle, temos o próprio Deus e tudo o que Ele possui. Não podemos ser nada além de pessoas satisfeitas com a perfeita plenitude de Cristo”. No que diz respeito ao amor pelas coisas espirituais, nosso lar foi o mais feliz que já conheci

6. Um crente é um grande realizador, e não um grande proibidor.
Éramos fundamentalistas — procurando viver sem arrogância. E tínhamos nossa lista de coisas proibidas. Mas isso não era o mais importante. Deus era o mais importante. E Deus era digno de tudo.

7. A vida cristã é sobrenatural.
O viver cristão não é possível sem o Espírito Santo, que age em resposta à oração. Em minha memória não há uma noite em que minha família não orou reunida, à medida que crescíamos.

8. A doutrina bíblica é importante, mas não surre as pessoas com essa doutrina.
Papai lamentava pelas escolas e pessoas da família que dividiam aquilo que a Bíblia mantém junto: Falar “a verdade em amor” (Efésios 4.15). Verdade e amor. Esta é uma ótima união. Mantenha-os juntos, filho.

9. Respeite sua mãe.
Se quiséssemos ver papai irado, era só falarmos insolentemente com mamãe. “Honre a sua mãe” é o que Deus ordena. E papai sabia o preço que ela pagava por concordar que ele viajasse. Ai do filho que falasse uma palavra depreciadora desta grande mulher!

10. Seja aquilo para o que Deus o criou, não seja outra pessoa.
Se você é baixo, forme um time chamado “Batatinhas Difíceis de Descascar”. Ele nunca me pressionou a ser um pastor. Filho, busque a vontade de Deus acima de todas as coisas. E seja aquilo para o que Deus o criou.

Escrevo com profunda afeição. Muito obrigado, papai!

4.9.11

IC: "Bíblia na Tradução Brasileira completa a gama de traduções da SBB"



Com uma equipe de profissionais especializados em tradução bíblica, a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) busca o que há de melhor em recursos humanos e tecnológicos para publicar a Palavra de Deus. Ao relançar um clássico da literatura bíblica, consolida-se como uma das entidades mais atuantes na tradução, produção e distribuição do Livro Sagrado. A Bíblia Sagrada na Tradução Brasileira, uma obra histórica que levou 11 anos para ser concluída (1903 a 1914), vem somar-se a outras três traduções editadas pela SBB, que igualmente se distinguem por serem fiéis aos originais, em hebraico, aramaico e grego e que são as mais apreciadas pelos cristãos brasileiros:

:: Tradução Brasileira: Publicada pela primeira vez em 1917, é considerada um projeto de tradução pioneiro, por ter sido totalmente realizado no Brasil. Também conhecida como Versão Brasileira ou Versão Fiel, contou com uma comissão de tradução formada por notáveis da literatura nacional, entre os quais Rui Barbosa, José Veríssimo e Heráclito Graça, que atuaram como consultores linguísticos. Liderada por Hugh Clarence Tucker, missionário metodista norte-americano, integraram, ainda, sua comissão de tradução líderes religiosos do Brasil e Estados Unidos, com destaque para Hipólito de O. Campos, Antônio B. Trajano, Alfredo Borges Teixeira, John M. Kyle e John R. Smith.

A Tradução Brasileira ganhou renome pela fidelidade ao sentido original. Chegou a ser conhecida como “Bíblia Tira-Teima”. Seu relançamento está fundamentado em dois grandes pontos: ela é um marco histórico e um documento que auxilia, em muitos casos, a compreender a origem das formulações encontradas na tradução de Almeida Revista e Atualizada.

:: João Ferreira de Almeida – Revista e Corrigida: Esta tradução foi trazida para o Brasil pela Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira, em data anterior à fundação da SBB. Publicada em 1898, recebeu o nome de Revista e Corrigida (RC). Traduzida por João Ferreira de Almeida a partir dos manuscritos em línguas originais disponíveis no século XVII, a RC adota uma linguagem clássica, praticamente erudita.

É a tradução que mais se aproxima do português falado pela comunidade de língua portuguesa no mundo. Sua última revisão foi elaborada em 2009. Com isso, foi adaptada à reforma ortográfica da língua portuguesa, além de ter recebido algumas alterações em seu texto, entre as quais a substituição da palavra “caridade” por “amor”. Seguindo os princípios da equivalência formal, é adotada por inúmeras denominações evangélicas em países de língua portuguesa, especialmente no Brasil e em Portugal.

:: João Ferreira de Almeida – Revista e Atualizada: Quando, em 1948, a SBB foi fundada, uma nova revisão de Almeida foi encomendada para outra equipe de tradutores brasileiros. O resultado desse novo trabalho, publicado em 1956, é a que hoje conhecida como versão Revista e Atualizada (RA).

Conservando as características principais da tradução de equivalência formal de Almeida, a RA é o resultado de mais de uma década de revisões e atualizações da RC. Igualmente fiel aos textos originais, sua linguagem é viva, acessível, clara e nobre. Sua revisão foi feita a partir da descoberta de manuscritos bíblicos mais antigos. Em 1993, a RA passou por uma segunda revisão, afinando ainda mais o texto bíblico aos textos originais em hebraico, aramaico e grego.

:: Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH): Lançada no ano 2000, essa tradução mantém-se fiel aos textos originais e, ao mesmo tempo, adota a estrutura gramatical e a linguagem falada pelo brasileiro. Desenvolvida pela Comissão de Tradução da SBB, a NTLH é voltada às pessoas que ainda não tiveram nenhum (ou pouco) contato com a Palavra de Deus.

Quando foi publicada a primeira edição desta Bíblia, em 1988, imediatamente a Comissão de Tradução da SBB continuou o trabalho de acompanhamento e revisão da tradução, prestando atenção às sugestões e críticas que surgiam e procurando aperfeiçoar o trabalho realizado. Além disso, a Língua Portuguesa, por ser viva e dinâmica, continuou a sofrer mudanças significativas desde o lançamento da publicação. Assim, depois de 12 anos dedicados a pesquisas profundas e revisões, a SBB lançou a NTLH.

Compare as traduções:


 SBB


2.9.11

Série Hino Mesmo: “Não há Deus maior”




Não há Deus maior

Não há Deus maior
Não há Deus melhor
Não há Deus tão grande
Como o nosso Deus.
Não há Deus maior
Não há Deus melhor
Não há Deus tão grande
Como o nosso Deus.

Criou o céu criou a terra
Criou o Sol e as estrelas
Tudo ele fez tudo criou tudo formou
Para o seu louvor
Para o seu louvor
Para o seu
Para o seu
Para o seu louvor.

Não há Deus maior
Não há Deus melhor
Não há Deus tão grande
Como o nosso Deus.

Criou o céu criou a terra
Criou o Sol e as estrelas
Tudo ele fez tudo criou tudo formou

Para o seu louvor
Para o seu louvor
Para o seu
Para o seu
Para o seu louvor.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...