12.1.14

Contribuindo para o Reino de Deus




Os abusos quanto ao levantamento de recursos financeiros praticados por igrejas neopentecostais acabaram por tornar bastante delicada a questão da contribuição financeira nas igrejas evangélicas em geral. O abuso, porém, não invalida a realidade de que as igrejas genuinamente­ evangélicas precisam de recursos para manter seus trabalhos regulares. A Bíblia nos ensi­navárias coisas acerca do dinheiro.

1) De quem é o dinheiro? Todas as riquezas que existem no mundo pertencem a Deus, por direito de criação (Salmo 24.1) e por direito de capacitação, isto é, é Deus quem nos dá saúde, forças e oportunidades para ganharmos dinheiro (Deut 8.18). O cristão deve se consci­en­tizar­ de que ele é apenas gerente­, e não dono dos recursos de que dispõe.

2) Deus tem um plano para o dinheiro­ que nos confia.

Ø Primeiro, devemos suprir as nossas necessidades e da nossa família. Deus sabe que temos necessidades (Mateus 6.31-32) e que o dinheiro­ é usado­ para supri-las (Atos 20.34).
Ø Segundo,  Deus deseja abençoar outros por nos­so intermédio. Devemos usar nossos recursos para ajudar os irmãos que estão passando por necessidade (Romanos 12.3), aqueles que são pobres (Deut 15.7-8). Um grande exemplo disto são os crentes de Corinto (leia 2Coríntios 8 e 9).
Ø Terceiro, devemos usar o dinheiro­ para sustentar a obra de Deus neste mundo, através das contribuições regulares e proporcionais que fazemos para a Igreja e organizações evangélicas envolvidas com a evangelização do mundo e as obras sociais. Os legítimos obreiros cristãos são dignos de receber seu sustento das igrejas, como Jesus e Paulo ensinaram (Lucas 10:7; 1Coríntios 9:1-12). Para alguns, a contribuição por meio de dízimos é a correta (Malaquias 3:10). Todavia, o que importa é que nossa contribuição seja regular, proporcional ao que recebemos de Deus e dada de coração.
Ø Quarto, através do dinheiro, Deus quer mostrar seu poder e bênção, suprindo as nossas necessidades (Mateus 6.33), despertando assim gratidão em nosso coração (Deut 8.18) e recompensando fielmente os que contribuem de forma voluntária e regular para sua obra (2Coríntios 9:1-11).

Todo cristão sincero deveria refletir sobre o uso que faz do dinheiro, lembrando que prestará contas a Deus, como um gerente presta contas ao proprietário.

3) Princípio gerais para o uso do dinheiro. A Bíblia nos ensina muitas coisas sobre como devemos gastar o dinheiro que Deus nos permite ganhar. Quando observamos estes princípios, podemos evitar mais facilmente a escravidão financeira. Eis aqui alguns deles.

Ø Primeiro, aprender a gastar sabiamente. Devemos planejar nossos gastos (Lucas 14.28-30; Provérbios 19.2) e parar com despesas desnecessárias (Isaías 55.1-2).
Ø Segundo, não presumamos da graça de Deus. Conheci um casal cristão que comprou um bem valioso e pagou com cheque pré-datado, orando para Deus mandar o dinheiro­. O dinheiro não veio, e a coisa acabou na justiça, com péssimo testemunho contra o Evangelho. Não devemos tentar a Deus querendo ter um padrão de vida que é acima dos nossos recursos.
Ø Terceiro, pratique a respiração financeira. O Senhor Jesus nos ensina em Lucas 6.37-38 que recebemos na mesma proporção em que damos. É verdade que Deus nos abençoa financeiramente apesar de nossa falta de amor para com outros, mas ele tem prometido abençoar de forma especial os que dão abundantemente para os necessitados.
Ø Quarto, evite estas coisas o máximo que puder: tomar emprestado para comprar algo que se desvaloriza facilmente (Deut 15.6; Prov 22.7); ficar por fiador de estranhos (Prov 11.15; 17.18), participar de campanhas e sacrifícios promovidos por líderes inescrupulosos, em nome de Deus, que prometem o que Deus nunca prometeu nas Escrituras e que usam a religião como meio de ganhar dinheiro e ficar ricos (1Timóteo 6:1-10).

O dinheiro tem escravizado muitos cristãos. Mas quando aprendemos a usá-lo segundo os ensinos da Bíblia, o dinheiro torna-se instrumento do bem aqui neste mundo.


4.1.14

Ministério dinâmico (Parte 1) - pr. Antonio Gilberto



Como o obreiro do Senhor pode melhorar o seu desempenho

Nesta série de artigos sobre o tema "Ministério dinâmico", citarei 13 atitudes que o obreiro do Senhor Jesus deve ter para dinamizar o seu ministério. Neste primeiro artigo, tratarei de cinco atitudes.

Antes de tudo, é importante destacar que a Bíblia afirma a necessidade de o obreiro dinamizar o seu ministério. Paulo, por exemplo, em Filipenses 3.13,14, escreve:  “E avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo”. E em Romanos 11.13, ele diz: “...enquanto for apóstolo dos gentios, glorificarei o meu ministério”. Ou seja, o obreiro deve avançar no seu ministério e procurar "glorificá-lo".

Em 1 Coríntios 12.31, Paulo disse: “...e eu vos mostrarei um caminho ainda mais excelente”. Aqui, depois de falar sobre os dons espirituais, ele estava apresentado o amor como "um caminho ainda mais excelente". Mas, o que quero destacar nessa passagem é que o apóstolo estimula seus leitores a buscarem "um caminho ainda mais excelente". Em Jeremias 3.15, o profeta fala de "pastores (...) que vos apascentem com ciência e com inteligência". E 1 Cônicas 19.10 diz: “...fez escolha dentre os mais escolhidos de Israel”. Deus deseja que seus servos sirvam com ciência, inteligência e sejam selecionados entre os melhores ("os mais escolhidos").

Mas, como o obreiro do Senhor pode melhorar o seu desempenho?

Ele deve melhorar a si mesmo como pessoa; melhorar o seu preparo; melhorar o seu desempenho, como exemplo para o rebanho (1Pe 5.3). Vamos, portanto, as atitudes que o ajudarão nesse sentido.

1) O Obreiro deve ler muito - Todo obreiro deve ler muito. Ler sempre, e acima de tudo, a Bíblia. Mas também ler livros comuns, dicionários, comentários, manuais, atlas, gramáticas, devocionais, jornais, revistas etc. Paulo disse a Timóteo: "Persiste em ler" (1Tm 4.13).

O primeiro livro do Novo Testamento inicia com a palavra “livro” (Mt 1.1). E em 2 Timóteo 4.13, Paulo no final de seu ministério, no seu último livro, nos momentos finais de sua vida, falou sobre a importãncia da leitura para ele: "Quaqndo vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, eos livros, principalmente os pergaminhos".

2) O Obreiro deve cursar formalmente, e continuar com um bom autodidata - Fazer cursos bíblicos e também cursos seculares. Em Êxodo 5.1, observamos Moisés comparecendo perante Faraó, rei do Egito, o país mais desenvolvido daquela época, e ele era um homem preparado (At 7.22).

Em Atos 17.15ss, vemos Paulo em Atenas, o maior centro cultural daquela época. Paulo era um homem preparado.

Apolo, em Atos 18.24,25, é descrito como “eloqüente, poderoso nas Escrituras, e ensinava”.

3) O Obreiro deve fazer sempre sua autocrítica - O obreiro pode fazer isso de várias maneiras.


4) O Obreiro deve contactar e conviver com pessoas espirituais e cultas - Pessoas espirituais e cultas em cultura bíblica, e também secular; cultura polivalente. Geralmente, tais pessoas são simples na sua maneira de ser. Também o obreiro deve frequentar ambientes culturalmente seletos. Em Colossenses 4.7-18, podemos observar aqui os obreiros auxiliares que cooperavam, acompanhavam e assistiam o apóstolo Paulo nos seus trabalhos e nas suas viagens:

- Tíquico, vv 7,8.

- Onésimo, v.9.

- Aristarco, v.10.

- Marcos, o sobrinho de Barnabé, v.10.

- Jesus, chamado Justo, v.11

- Epafras, v.12.

- Lucas, o médico amado, v.14.

- Ninfa, v.13 (no original, o nome Ninfa está no caso acusativo de declinação gramatical (Nymphan); daí não se saber se trata de nome masculino (Nymphas) ou o nome feminino (Nympha) (É o mesmo caso de Romanos 16.7, onde lemos “Júnia”. No original, está no caso acusativo: "Ioyniam").

5) O Obreiro deve cuidar bem da sua aparência e postura pessoal - Fazer sempre autoavaliação de sua postura e aparência pessoal, a saber:

- Higiene pessoal: saúde, banho, unhas, cabelo, barba, dentes, hálito, narinas, olhos, óculos, odores do corpo (axilas, pés, sudorese, estomatite), lenços, etc.

- Alimentação.

- Roupa que combine bem (inclusive terno de peças distintas).

- Atos 20.28, e 1 Timóteo 4.16 orienta o leitor: “Tende cuidado de ti mesmo”.

Continuaremos falando sobre esse tema no próximo artigo.




3.1.14

Pré-aula_Lição 1: O livro de Êxodo e o cativeiro de Israel no Egito

Aula prévia referente à Lição 1: O livro de Êxodo e o cativeiro de Israel no Egito do 1º Trimestre de 2014: Uma jornada de fé — A formação do povo de Israel e sua herança espiritual, como preparação dos Professores da EBD durante a semana anterior a aula.

Acesse nosso site: Portal EBD - Todo sábado às 19h, temos a aula completa - ao vivo - preparatória para os professores das EBDs.





1.1.14

10 dicas para um cristão ser feliz em 2014



1. Seja otimista. Quem tem a certeza absoluta de que Deus está no controle de sua vida não deve ser pessimista. Se for aprovado em um concurso, glória a Deus. Se não passar, louve ao Senhor e espere outra oportunidade. Se for demitido, seja grato a Deus por isso, também. Não desanime nunca. E faça a sua parte, preparando-se para novas portas que, certamente, se lhe abrirão.

2. Comece cada dia em comunhão com Deus. Louve-o, ao acordar. Abra a janela do seu quarto, olhe para o céu, para a natureza, ouça o canto dos pássaros. Dirija seu veículo cantando louvores. Atravesse a rua dando glórias àquEle que dirige os seus passos. Louve ao Senhor Jesus pelo dom da vida!

3. Seja altruísta. Pense no próximo. Faça um esforço para pensar nas dificuldades e necessidades das pessoas à sua volta. Seja paciente no trânsito, dirija devagar, respeite o pedestre. Esvazie-se da brutalidade que diariamente quer brotar dentro de você. Não se deixe influenciar pelo egoísmo prevalecente no mundo sem Deus. Faça o bem às pessoas à sua volta.

4. Para de "levar vantagem". Se você não é idoso ou deficiente físico, não use a vaga destinada a essas pessoas. Não "fure" fila. Não compre produto "pirata". Seja honesto, ainda que não receba nada em troca, aparentemente; ainda que você seja o único a fazer o que é correto. Deus o recompensará.

5. Não seja um murmurador contumaz. Ah, como é difícil conviver com pessoas que reclamam de tudo e de todos! Se chove, não está bom. Se faz frio, também está ruim. Se faz calor, então... Experimente ver o lado bom de todas as coisas. Nenhum lugar do mundo é perfeito. Por isso, precisamos extrair o que é bom por onde passamos.

6. Seja grato a Deus na vitória e no sofrimento. Se chegamos ao fim de 2013, mesmo com lutas e sofrimento, foi graças a Ele. Agradeça ao Senhor, ao levantar-se da cama, antes das refeições, ao sair de casa, antes de dormir, etc. Lembre-se da graça de Cristo, a cada dia. Ele lhe deu a maior bênção, dentre todas, a certeza da vida eterna.

7. Tenha senso de humor. Você não precisa ser mal-humorado para demonstrar que é santo. Rir no momento certo faz bem. Fazem parte da vida o rir e o chorar. Por que viver chorando pelos cantos? Levante a sua cabeça! A vida segue.

8. Passe menos tempo na Internet e nas redes sociais. Dedique mais tempo à sua família. Use a Internet para crescer em conhecimento. Não navegue a esmo. Forme a sua coletânea de bons sites e blogs. Mesmo nas redes sociais, seja seletivo. Não perca tempo com efemeridades.

9. Leia a Bíblia diariamente. Você já leu a Bíblia toda? Se sim, faça isso de novo. Se não, aproveite a virada de ano para iniciar seu plano de leitura. Experiente lê-la em outros idiomas, versões, ou fazendo comparações. Dedique tempo ao estudo sistemático da Palavra de Deus. Isso, com certeza, tornará a sua vida melhor em 2014.

10. Compartilhe o amor de Deus. O verdadeiro Evangelho muda o mundo e a vida das pessoas. Evangelize seus parentes, amigos, vizinhos, colegas de trabalho, etc. Partilhe com eles os preciosos ensinamentos do Senhor Jesus.

Feliz 2014!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...